FISIOTERAPIA INFANTIL: Importância de retomar a atividade no pós-confinamento

FISIOTERAPIA INFANTIL: Importância de retomar a atividade no pós-confinamento

FISIOTERAPIA INFANTIL: Importância de retomar a atividade no pós-confinamento

Devido à pandemia de Covid-19, os espaços de Fisioterapia Infantil tiveram de encerrar portas, levando a que as crianças que necessitavam deste tipo de tratamentos não os pudessem realizar em espaços adequados e com a ajuda de profissionais especializados.

Tal levou a que muitos pais tivessem de se tornar “fisioterapeutas” e ajudar os seus filhos a realizar os exercícios necessários, para que estes não estagnassem e/ou piorassem o desenvolvimento das suas capacidades motoras ou respiratórias.
 
Tânia Gomes, Fisioterapeuta Infantil na Polidiagnóstico da Marinha Grande, apela à criatividade dos pais. A especialista verificou que muitas das crianças que faziam regularmente sessões de fisioterapia na clínica perderam o hábito de se exercitar quando estiveram confinadas em casa. Mesmo depois de ter disponibilizado pequenos vídeos para que os pais pudessem continuar a prestar esse apoio aos filhos, no domicílio. 
 
“Além de motivação, o educador tem de ter alguma criatividade nas atividades que propõe para que a criança queira fazer os exercícios, sem lhe parecer que está a repeti-los”, salienta a fisioterapeuta.
 
Artigo escrito com a colaboração da Tânia Gomes| Fisioterapeuta Infantil Clínica Polidiagnóstico Marinha Grande
 
Marcações de consultas de Fisioterapia Infantil:
+ Polidiagnóstico Marinha Grande - t: 244 504 200 | marinha@polidagnostico.pt
+ Polidiagnóstico Fisioterapia - Marinheiros – t: 244 828 214 | fisioterapia@polidiagnostico.pt
 
Partilhar:
Ao navegar pelo nosso website e/ou utilizar os nosso serviços aceita o uso de cookies. Fechar esta notificação